"Passar das palavras aos atos é tudo uma questão de atitude!"

O Modêlo de Obreiro
no Velho Testamento
Dt 10:8-9
Somente uma tribo israelita podia revelar o cargo de ministros de Deus no Velho Testamento: “A Tribo de Levi”. Por outro lado, somente uma família no seio da Tribo de Levi podia ceder os sacerdotes para os serviços de Deus no Tabernáculo e, futuramente, no Templo em Israel: “A Família de Aarão”.
Focalizemos os Levitas no Velho Testamento,
como referência especial de prestação de serviços a Deus em qualquer tempo e lugar
Obs: Os “servos específicos do Senhor” precisam possuir uma chamada prévia, uma primeira chamada antes de receber a segunda chamada. A primeira chamada aponta para o Céu; a segunda, para serviços na terra. “Quando AARÃO E SEUS FILHOS foram chamados, Israel já era povo de Deus” – Aleluia! Antes de ser obreiro do Senhor, o crente precisa ser comprado, resgatado, lavado e redimido no sangue do Cordeiro de Deus. A segunda chamada é de importância inaudível. Porém, a primeira chamada é e sempre será mais gloriosa. Mt 7:21-23.
Os LEVITAS eram servos específicos do Senhor para os serviços do tabernáculo e, mais tarde, do templo de Deus em Jerusalém. De acordo com a Palavra de Deus, conforme falamos acima, cabia aos descendentes de Levi, ocuparem-se com o culto e o transporte dos objetos sagrados da casa de Deus, o tabernáculo. AARÃO foi escolhido e chamado para ocupar o posto sacerdotal maior. Sumo-sacerdote. Seus filhos, foram chamados para as funções de sacerdotes simples. Prestemos atenção: Antes de chamar os sacerdotes, Deus chamou o Sumo-sacerdote. Entendes isto, obreiro!? – Antes de chamar os diáconos, os presbíteros, os evangelistas, os cooperadores, os dirigentes de departamentos, Deus escolhe e chama o pastor!! Primeiro, o pastor.

A palavra sacerdote, no hebraico, é: KOHEN . No plural, o hebraico para sacerdote é KOHANIM.


PRESTEMOS ATENÇÃO:

Os KOHANIM não eram ministros espirituais superiores para dar a benção aos hebreus, porém, Deus os usava como veículos divinos, representantes do Céu na terra, para liberar bençãos divinas ao povo hebreu. A benção divina somente descia ao povo através dos KOHANIM. Não bastava ser um levita, era necessário ser um KOHEN. Era necessário, ao povo hebreu, a presença do KOHEN no seio da comunidade de Deus. Sem a presença do KOHEN, a benção excluía-se do povo. A história jamais mudou. Sem a presença de legítimos ungidos de Deus numa Igreja local, de nada adiantará ungir doentes, enfermos, proclamar vitórias, profetizar...
O sumo-sacerdote, lider dos KOHANIM s>, era o KOHEN HAGADOL. Estas duas palavras hebraicas significam: “Sumo-sacerdote”. Somente através da oração intercessória e dos sacrifícios do KOHEN HAGADOL, e não dos KOHANIM é que Deus perdoava toda a coletividade de hebreus, todo o povo. Quando a questão envolvia todo o povo de Deus em Israel, o Todo-Poderoso não conversava com os KOHANIM, e sim com o KOHEN HAGADOL. Por que centenas de milhares de Igrejas locais hoje amargam duríssimas carências de bênçãos plenas de Deus? Exatamente porque padrões irreversíveis do Senhor são atropelados, desconsiderados. Todos os levitas estavam submissos à casa de Aarão. Por outro lado, todos os sacerdotes, filhos de Aarão, mantinham-se submissos a Aarão. Quando Coréh, um levita da família de Coate, insatisfeito, liderou uma multidão contra os ministérios dos igualmente levitas Moisés e Aarão , Deus, o Senhor da unção, agiu rápido e de forma trágica, quando, no dia seguinte após a rebelião, revelou de forma violenta a Coréh quão desastroso é tentar ultrapassar limites espirituais por Ele traçados. Nm 16:1-50. Jd 11.
Instituto Biblico Enom

Nenhum comentário: