"Passar das palavras aos atos é tudo uma questão de atitude!"

A Oferta na Visão de Davi
A Visão de Davi para Ofertar
O Padrão Sacrificial da Oferta


“...não oferecerei ao Senhor, meu Deus, holocaustos que não me custem nada” – 2 Sm 24:24.

Introdução
Que conceitos temos do culto a Deus onde Ele precisa e deve ser adorado de forma ímpar, singular??? Que tipo de visão espiritual cultivamos nos domínios da adoração, do louvor, das glorificações... Enfim, como é que os nossos olhos espirituais vêem o culto a Deus celebrado de forma individual ou coletiva?
AFINAL, louvamos ou cantamos?
Oramos ou repetimos palavras religiosas diante de Deus no afã de que Ele resolva nossos problemas? Pregamos realmente a Palavra de Deus ou somos máquinas tipo robôs programadas para falar por um determinado tempo? Cultuamos como filhos de Deus ou como meros religiosos membrados a uma instituição cristã evangélica????
Palavras de Davi num dos momentos críticos de sua vida: “...não oferecerei ao Senhor, meu Deus, holocaustos que não me custem nada”.

Na Derrota Davi se Levanta
Para Edificar um Altar para Deus


É relativamente fácil levantarmos um altar para Deus em tempos de bonanças; em tempos festivos, agradáveis....E nas derrotas!!!!!!
Davi amargou alguns grandes e terríveis revés como homem e rei de Israel. No entanto, em meio a esses alguns revés, o Capítulo 24 de 2 Samuel é, seguramente, uma das três maiores tragédias que cruzaram o caminho desse distinto servo de Deus. Sim!!! O Capítulo 24 de 2 Samuel está entre os três piores negócios na vida desse monarca:
1º O Caso de Bete-Seba e suas conseqüências.
2º A morte trágica de Abshalom, o filho querido e amado.
3º O censo inoportuno do Capítulo 24 de 2 Samuel.

No Capítulo 24 de 2 Samuel o rei de Israel preocupa-se em saber o quanto tinha em termos de material humano nas forças armadas, uma vez que, sabedor do número de homens em seu poder, poderia ter ou não idéia do que fazer diante dos adversários de Israel. Esse ato de Davi contrariou o Todo-Poderoso Deus dos Exércitos de Israel que, nunca, jamais, dependeu de contingente humano para dar vitória a seu povo. Com pouco ou com muito, o Senhor sempre fizera de Israel uma nação imbatível.

Palavras do próprio Davi diante de Golias, o gigante de Gate, o maior campeão dos filisteus: ...Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti em nome do SENHOR dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado. Hoje mesmo o SENHOR te entregará na minha mão, e ferir-te-ei, e tirar-te-ei a cabeça, e os corpos do arraial dos filisteus darei hoje mesmo às aves do céu e às feras da terra; e toda a terra saberá que há Deus em Israel; E saberá toda esta congregação que o SENHOR salva, não com espada, nem com lança; porque do SENHOR é a guerra, e ele vos entregará na nossa mão. 1 Sm 17:45-47.
Palavras do Senhor em Dt 32:39.
Vede agora que eu, eu o sou, e mais nenhum deus há além de mim; eu mato, e eu faço viver; eu firo, e eu saro, e ninguém há que escape da minha mão.


AGORA, os conceitos de Davi pareciam mudados e Deus aborreceu-Se com Davi.
O Deus Todo-Poderoso detesta ver filho Seu acreditando no poder da força humana – no poder da força política – no poder da força social – no poder da força religiosa – no poder da força militar....SIM! Contra todos os poderes que queiram marchar contra Seus filhos, Ele levantou o Seu próprio poder. Aleluia!!!!
QUANDO MUDAMOS NOSSA VISÃO em relação à grandeza do poder de Deus por nós, então, Ele nos pune.
Palavras do Senhor em Dt 32:39.


O resultado trágico dos conceitos de Davi revela-nos Deus enviando uma epidemia mortal que abateu-se sobre os homens de Israel, quando 70.000 guerreiros morreram de peste mortal.
Diante de Deus precisamos ser DEZ ou ZERO. Não há um 3º número.
Se confiarmos Nele, precisaremos ir até o fim.
Ele, Deus, deseja que Seus filhos vejam-NO como: O Deus Maior, O Deus Absoluto, O Único Deus, O Único Senhor, O Único Redentor, O Único Criador, O Único Soberano.....
NOTA: Em meio à tragédia do Capítulo 24 de 2 Samuel, Davi, após ouvir um grande profeta , saiu à procura de um local para edificar um altar de adoração ao Deus que acabara de puni-lo de forma dura, amarga, pesada. O que faríamos depois de severamente castigados pelo Papai do Céu????
Continuaríamos sendo Igreja???
Permaneceríamos filhos???
Edificaríamos um outro altar para Deus???
Um altar mais fortificado!!

A Visão de Davi
Para Ofertar a Deus

Depois de subir uma pedra de cerca de 850 mts de altura, na fortaleza de Jebus, mais tarde, Jerusalém, Davi foi recebido pelo jebuseu Araúna, que, de imediato, respeitando e honrando o monarca hebreu, desejou presentear-lhe com o terreno suficiente para edificação de um altar. Davi, com a alma abatida, sofrida, humilhada, de imediato, disse-lhe: NÃO!!!!

“...não oferecerei ao Senhor, meu Deus, holocaustos que não me custem nada”

A palavra holocausto, do hebraico shoah e do grego ολοκαύτωμα – olokaftoma, significa: “oferta queimada por inteiro”.

PRESTEMOS ATENÇÃO:
Altar é oferta a Deus!!! Jesus não ganhou gratuitamente o Calvário. Ele o comprou.
A vida do crente, na Nova Aliança, deve ser um altar espiritual.
Um altar que, primeiramente, precisa ser edificado sobre o Calvário. SIM! Calvário é base. UM MISTÉRIO: O Calvário deve ser o primeiro lugar espiritual da edificação do altar do crente. POR OUTRO LADO: A vida do crente também manifesta-se como lugar espiritual de altar edificado. O Calvário precisa estar no crente e o crente precisa estar no Calvário – o terreno de Araúna.
Araúna desejou presentear a Davi com o local para edificação de um altar.
Na Nova Aliança o Calvário é um presente espiritual de Deus ao crente, para que este edifique um grande e sólido altar. Tudo precisa e deve começar no Calvário.
CALVÁRIO é lugar de sacrifício.
É lugar de morte geradora de vida.

OBS.: Tudo quanto o crente oferece a Deus precisa ter aspecto de sacrifício. Além do aspecto de sacrifício , precisa custar algum preço ao ofertante.
Os louvores, as glorificações, as ofertas alçadas, o serviço missionário, as pregações, os ensinamentos...precisam ter feições de sacrifício e custar um preço ao adorador....
A VIDA DE DEUS NOS CULTOS sempre dependerá de sacrifícios vivos.
Muitos pagam altíssimos preços para adorar a Deus. Sim! São vítimas de perseguições e perseguidores, lutas, traições, tempestades, lágrimas, injustiças, indiferentismo, ingratidão.... “...não oferecerei ao Senhor, meu Deus, holocaustos que não me custem nada”


EPÍLOGO

Desconfie se o trabalho que fazes para Deus flui sem nenhuma perseguição, sem lutas, sem dificuldades... desconfie!!!!! Comece tudo de novo. O verdadeiro culto precisa e deve ser um culto sacrificial, onde os adoradores pagam algum preço.
Altar é lugar de sacrifício. Sua vida é um altar!!!!!!!!
Sem altar não pode haver sacrifício. Sacrifício e altar andam de mãos dadas. O lugar do altar precisa custar algum preço: No Calvário Jesus comprou a vida do crente. JESUS COMPROU-NOS COM SANGUE!!
O local do culto, então, que é a vida crente, Jesus já comprou. Mas a edificação do altar e o sacrifício sobre o mesmo são responsabilidades do crente. Tens altar!!!! Tens sacrifício no altar!!!! Que preço tens pago por esse sacrifício!!!! Aleluia!!!!

colaboração: Miss Brigida Borghi

Nenhum comentário: